Dissilicato de Lítio e Zircônia: Dissecando as Diferenças

September 01, 2023
Lithium Disilicate and Zirconia: Dissecting the Differences
publicado em  Atualizado em  

No mundo contemporâneo da odontologia restauradora, a seleção de materiais desempenha um papel crucial na determinação da eficácia, longevidade e estética das restaurações dentárias. A zircônia e o dissilicato de lítio têm agitado a indústria nos últimos anos. Apesar da popularidade compartilhada, cada material apresenta um conjunto único de características que o distinguem do outro. Vamos nos aprofundar em suas características.

Explorando a Zircônia:

A zircônia, ou dióxido de zircônio, elimina o ruído devido à sua notável resistência. Este material resistente à abrasão tornou-se robusto em uma variedade de aplicações odontológicas que garantem excelente resistência à fratura, incluindo pinos dentários, pontes multi-unidades e pilares de implantes. Quando aprimoradas por meio de um processo chamado estabilização de ítrio, as propriedades mecânicas da zircônia recebem um impulso substancial, atendendo ao desgaste na cavidade oral.

Embora a zircônia seja aclamada por sua resistência, ela pode ficar aquém quando se trata de estética, especialmente em restaurações frontais. Sua translucidez não é tão alta quanto a dos dentes naturais, o que poderia comprometer o perfil estético.

dente de zircônia

Inspecionando Dissilicato de Lítio:

O dissilicato de lítio apresenta uma dicotomia única entre estética e resistência. Este tipo de vitrocerâmica possui uma estrutura cristalina, ganhando resistência e se assemelhando muito à translucidez dos dentes naturais. Este atributo faz do Dissilicato de Lítio uma escolha impecável para restaurações e facetas de dentes anteriores, onde as considerações estéticas são fundamentais.

Em comparação com a Zircônia, o nível de resistência do Dissilicato de Lítio é moderado. No entanto, ainda está apto para a fabricação de restaurações unitárias anteriores e posteriores e para pontes de três unidades na região anterior.

Dissilicato de lítio

Contrastes distintos:

  1. Robustez: A resistência mecânica é um fator decisivo; A zircônia vence a corrida para restaurações extensas que suportam cargas.
  1. Qualidade Estética: Com alta translucidez que imita os dentes naturais, o Dissilicato de Lítio se destaca nas restaurações anteriores.
  1. Mecânica de Fabricação: As restaurações de zircônia geralmente exigem sinterização em vez de dissilicato de lítio, abrindo incentivos para eficiência de tempo.
  1. Faixa de aplicação: O atributo exclusivo de resistência à fratura da zircônia amplia o espectro de procedimentos odontológicos, ao contrário do dissilicato de lítio, que é predominantemente usado em restaurações de pontes únicas e pequenas.

Para encerrar:

Tanto a Zircônia quanto o Dissilicato de Lítio conquistaram um nicho para si no mundo odontológico. Se os dentistas e laboratórios dentários preferem a zircônia ou o dissilicato de lítio dependeria invariavelmente dos respectivos requisitos odontológicos em termos de funcionalidade e estética.

A busca para amalgamar a força da Zircônia com a estética do Dissilicato de Lítio é contínua e promete um progresso emocionante na odontologia restauradora. Ao obter insights robustos sobre o comportamento e desempenho desses materiais, os profissionais de odontologia podem tomar decisões informadas, oferecer atendimento personalizado e garantir restaurações de qualidade superior aos seus pacientes.

publicado em  Atualizado em